MUNDO BIZARRO


Quem é da minha geração (trinta e poucos anos) lembra muito bem dos desenhos do Super Man e dos Super Amigos que passavam na TV entre os outros saturday morning classics (ô saudade...)

Entre os inimigos dos nossos heróis nessas séries havia o “Super Man Bizarro”. Era uma espécie de Super Man ao contrário, ou seja, em vez de inteligente, era imbecil, em vez de bom, era mau-caráter, etc... Ele era assim porque vinha de uma dimensão paralela onde tudo era ao contrário, conhecida como “Mundo Bizarro”. Pois é amigos de boteco... agora, algumas décadas depois, descobri que o Mundo Bizarro existe. Nós vivemos nele.

Tenho o “péssimo” hábito de questionar tudo e todos (principalmente a mim mesmo) e na última semana saí a perguntar nos setores pertinentes da administração pública quais seríam os eventos para o dia 20 de novembro, dia nacional da consciência negra, data que me desperta particular interesse, já que sou do Conselho Municipal de Defesa da Igualdade Racial. Até o dia 19 ainda não tinha conseguido nem uma resposta da Secretaria de Cultura e a frustração foi total quando nesse mesmo dia, à noitinha, uma coordenadora do Memorial Zumbi informou que não haveria qualquer programação oficial para esse dia. Pensei: “Puta merda! Uma cidade que tem um memorial em homenagem ao Zumbi dos Palmares (que aliás está abandonado e precisando de reforma) deveria fazer, no aniversário de morte desse personagem, uma celebração histórica, entre os principais eventos do calendário cultural da cidade!” Cheguei à conclusão de que essa oligarquia que se estabeleceu no poder utiliza o requinte de minimizar e desprezar qualquer data que represente lutas e conquistas do povão (vide o 9 de novembro...).

Outro fato que me chamou a atenção foi o comportamento da população da cidade (não posso falar por toda região, pois nesses dias permaneci em V.R.) diante do desastre ecológico que atingiu o Rio Paraíba do Sul na útima terça-feira. Só há uma classificação: bizarro!

Tirando as pessoas que estiveram na margem do rio e se indignaram com a mortandade de peixes e outros animais, algumas protestando muito oportunamente contra o absurdo, a grande maioria permaneceu impassível. Alguns nem tomaram conhecimento... A maioria ficou satisfeita com a multa aplicada à empresa responsável (que diga-se de passagem, jamais será paga...) e acha que o problema está resolvido. Gente... naquele dia nós corremos o risco de contaminação por um produto que segundo o Ministério da Agricultura é classificado toxicologicamente como altamente tóxico (Classe I), classificação ambiental como produto altamente perigoso, além de inflamável e corrosivo. Por pouco nós e nosso filhos não acompanhamos os pobres peixes na triste procissão de morte e dor em que se transformou o Paraíba, pois a empresa demorou a informar sobre o acidente e muitas estações podem ter captado água contaminada... Bizarro!!!

A bizarrisse desse povo está na capacidade de ser vaquinha-de-presépio, de aceitar tudo de cabeça baixa, ruminando os problemas pessoais como se fossem os mais importantes do mundo.

“Falou, linguarudo! O que o povão poderia fazer que as autoridades não fizeram?” Alguém com certeza vai me perguntar... e eu respondo: cobrar, pressionar, exigir, mostrar que está atento, que está de olho! E não falo em exigir punição para os responsáveis, é exigir que sejamos efetivamente protegidos de acidentes como esses. Exigir que a legislação ambiental seja reformulada e devidamente cumprida. Ligar ou mandar e-mail para o seu vereador, deputado estadual, federal, prefeito e o escambau, dizendo que está acompanhando e que qualquer vacilo será devidamente cobrado na próxima eleição. Precisamos trabalhar a opinião pública para que essas empresas irresponsáveis saibam que é um péssimo negócio prejudicar o meio ambiente. Precisamos lutar para deixar um planeta decente para nossos descendentes.

Mas infelizmente, se não mudarmos nossas atitudes, o que deixaremos é um “planeta bizarro”, onde cada pessoa é avaliada pelo que tem e não pelo que é. Um “mundo dos espertos” onde manda quem pode, obedece quem não tem opção... Onde o toma-lá-dá-cá está na ordem do dia e formam-se os pequenos grupos que levam vantagem em tudo, em detrimento da maioria.

Não sou socialista, mas acabo parafraseando Carl Marx: “Pessoas de bom senso de todo o mundo, uni-vos.” Vamos começar nossa batalha contra o “mundo bizarro” e por um mundo de paz e justiça.

E tenho dito!


Até a próxima...

1 comentários:

Paulinha 25 de novembro de 2008 14:07  

Impossível não comentar um texto destes.Mesmo que nosso comentário pareça no mínimo bizarro, rs...
Menino! Cada dia que passa tenho mais orgulho de caminhar ao seu lado!
Texto brilhante! Delicioso! Incrível!
Parabéns! A pinga que servem neste boteco é de ótima qualidade!

Postar um comentário

Mercado Livre

"Quando o processo histórico se interrompe... quando a necessidade se associa ao horror e a liberdade ao tédio, a hora é boa para abrir um bar."
W. H. Auden